Segunda-feira
18 de Dezembro de 2017 - 
Advogado registrado na OAB/BA sob N° 30.452
Atuando em Direito do Trabalho
Direito do profissional de saúde
Direito do consumidor

Informativos úteis

Cadastre seu e-mail para receber dicas úteis para seu dia-a-dia. Conforme legislação, não realizamos consultas por e-mail. As dicas tem conteúdo geral, aplicáveis a quaisquer cidadãos.

Previsão do tempo

Hoje - Jequié, BA

Máx
31ºC
Min
19ºC
Pancadas de Chuva

Terça-feira - Jequié, ...

Máx
31ºC
Min
18ºC
Possibilidade de Chu

Quarta-feira - Jequié, ...

Máx
30ºC
Min
19ºC
Parcialmente Nublado

Hoje - Vitória da Conqu...

Máx
27ºC
Min
17ºC
Pancadas de Chuva

Terça-feira - Vitória ...

Máx
27ºC
Min
15ºC
Possibilidade de Chu

Quarta-feira - Vitória ...

Máx
30ºC
Min
16ºC
Poss. de Pancadas de

Endereços

Escritório Vitória da conquista

Otávio Santos , 207 , Empresarial Maria Helena, 20 Andar, Salas 204/2016
Recreio
CEP: 45020-750
Vitória da Conquista / BA

Escritório Jequié

Rua Bertino Passos , 08 , Edificio Viana - 1o andar
Centro
CEP: 45200-020
Jequié / BA
+55 (73) 3525-0401

Notícias


Hospital e médica são responsabilizados por erro em atendimento - 16/01/2014

A 7ª Câmara de Direito Privado do Tribunal de Justiça de São Paulo manteve, por unanimidade, sentença que condenou a Santa Casa de Misericórdia de Marília e uma médica a pagarem indenização no valor de R$ 10 mil por erro em diagnóstico.
Consta dos autos que o paciente se dirigiu ao hospital após cair de uma escada em seu local de trabalho. Durante o atendimento, foi submetido a uma radiografia, mas a médica não localizou fraturas e lhe deu alta. Quatro dias depois, retornou ao hospital com muitas dores, e, após ser atendido por outro profissional, foi submetido a uma tomografia computadorizada, que constatou fratura e necessidade de procedimento cirúrgico.
Por esse motivo, ajuizou ação de indenização, julgada procedente pela 5ª Vara Cível de Marília. Sob alegação de que a fratura não foi constatada na radiografia por ser muito sutil, o hospital e a médica apelaram.
Em seu voto, o relator, desembargador Luís Mário Galbetti, ressaltou que o fato de não ter localizado fraturas não exime a profissional de sua responsabilidade. "A alegação de que a fratura, por sua sutileza, não pôde ser evidenciada por exame de raio-x, e de que o laudo de tal exame somente foi disponibilizado posteriormente, não afasta o erro médico da corré pois, em face das circunstâncias, recomendava-se a realização de exames mais minuciosos antes da liberação do autor, que sofria fortes dores devido ao acidente."
Completaram a turma julgadora os desembargadores Walter Barone e Luiz Antonio Costa.
Apelação nº 0001056-60.2010.8.26.0344
Fonte: Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo
Autor: TJ São Paulo
© 2017 Todos os direitos reservados - Certificado e desenvolvido pelo PROMAD - Programa Nacional de Modernização da Advocacia
Visitas no site:  63647
Pressione as teclas CTRL + D para adicionar aos favoritos.